A relação entre o diagnóstico de perda auditiva e a deteção precoce do Alzheimer

 

Recentemente, vários estudos têm mostrado que existe uma relação direta entre a perda auditiva nos idosos e alguns problemas cognitivos, como a demência e a depressão.

De acordo com esses estudos, a diminuição dos estímulos cerebrais causada pela perda auditiva - associada ao isolamento social que já tantas vezes referimos - afeta não apenas as áreas responsáveis pelo processamento do som e da linguagem, mas o cérebro inteiro.
 

Outro estudo conduzido pela Universidade de Wisconsin-Madison demonstrou que não só a perda auditiva pode provocar um declínio cognitivo, como ser um indicador precoce da doença de Alzheimer.

Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores conduziram testes clínicos para determinar correlação entre perda auditiva e declínio cognitivo. Grande parte dos participantes da pesquisa eram adultos filhos de pacientes com Alzheimer que foram o testados regularmente em habilidades cognitivas.

A pesquisa em questão demonstrou que a identificação precoce e o tratamento para a perda de audição são fundamentais para minimizar os riscos de desenvolver uma variedade de outras condições emocionais e físicas, incluindo demência e doença de Alzheimer, depressão e isolamento social.