Perda auditiva nas crianças: porque é confundida com Défice de Atenção


A perda auditiva em crianças pode ser difícil de diagnosticar, especialmente quando os sintomas ainda não são bem percetíveis. Ao entrarem na idade escolar, as crianças começam a demonstrar mais sintomas, principalmente ao nível da concentração e facilidade de aprendizagem. Logicamente, se a criança não consegue ouvir corretamente terá mais dificuldades em apreender os conceitos e em concentrar-se no professor.


No entanto, estes sintomas são comuns a outros problemas, nomeadamente com o Défice de Atenção e  Hiperatividade, o que acaba por criar diagnósticos errados em algumas situações.


Embora o Transtorno de Défice de Atenção e  Hiperatividade seja um problema bastante presente entre as crianças – acomete cerca de 3% a 5% das crianças, a nível mundial –, não deve ser confundido com a perda auditiva. Cabe aos pais ou responsáveis levarem a criança a um otorrinolaringologista que a irá avaliar e determinar se sofre de facto de algum nível de perda auditiva.


Alguns sintomas a estar atentos na criança em idade escolar e que o podem ajudar a identificar a perda auditiva são:

  • Exclusão social, evita estar com outras crianças;
  • Pede com frequência para falarem mais alto;
  • Só responde quando o interlocutor fala à sua frente e não reage a sons que não pode ver;
  • Pede que repitam várias vezes o que lhe foi dito;
  • É desatenta;
  • Fala muito alto;
  • Olha para o interlocutor com muita intensidade como se dependesse dos sinais visuais para interpretar a conversa.


Todos estes sinais são sintomas de perda auditiva em crianças e adolescentes e são pistas a que os pais devem estar atentos durante o crescimentos dos seus filhos.

Se notar que o seu filho tem um ou mais destes sintomas, marque imediatamente uma consulta, pois quanto mais cedo o problema for identificado, mais sucesso terá o tratamento.